28 de mar de 2017

2196 palavras sobre você.

eu fiquei pensando o dia inteiro quase, fora os momentos que dormi por conta do remédio. fiquei pensando em você, em mim, em nós até agora. 

é difícil pensar em todos problemas que existem quando a gente perde o foco por conta de coisas externas, não que eu seja uma pessoa muito desligada, na verdade sinto que estou sempre de olho em tudo a minha volta e isso às vezes me atrapalha até mas tem dias que nosso foco é outro e é por conta dele que eu vim falar com você.

é difícil pra mim dizer o que sinto ou como me sinto em relação as coisas porque como a maioria das mulheres fui sempre ensinada a ouvir o outro e me colocar em segundo plano e é bem mais trabalhoso e também doloroso quando você precisa chegar ao ponto de falar o que sente em voz alta pra você mesma porque não te basta só pensar porque até em ti você dúvida um pouco nessa história de sentir.
 acho que o ato de falar em voz alta às vezes ajuda a concretizar o nosso pensar - e eu fiz isso a poucos segundos atrás - pra acertar a lente do meu pensamento, o foco da minha retina e entre uma virada pra direita e um pouco pra esquerda com clareza eu vi você ali mas mais especificamente: o teu sorriso. esse sorriso que não me sai da cabeça, que me bagunça, me intriga e me balança por inteira aqui dentro. 

eu não sei mas tem algo nesse teu sorriso que faz meu coração parecer maracatu, se pudesse colocar uma onomatopeia nele seria algo parecido com "tun tun tchicá tchicá bum".

é aquela sensação de medo com frio na barriga.
aquela vontade de subir na árvore comer fruta direto do pé mesmo não sabendo depois se na hora de descer a escada vai virar.
é aquele fim de tarde frio que pede chocolate quente e edredom mas a vida te instiga a ir pra mesa de bar, sentir o vento na cara, ouvir aquele mpb breguíssimo mas que a gente acha fofo à dois. 

eu não tenho motivos pra ficar, eu nem tentei pontua-los. eu não tenho motivos fora o simples fato de eu querer ficar e se você quiser e se você vier, a gente tropeça ali na frente e espera uma se levantar, tropeça de novo e ajuda a outra a levantar, igual dançar, me disseram uma vez que nunca é fácil os primeiros passos mas isso não é problema pra quem acredita que as ruas foram feitas para dançar. 

e se antes, dançar sozinha já me fazia sorrir, dançar com você sorrindo, é ser um cadin mais feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário